Projetos

Associação Ação Solidária Madre Cristina

Comitê Popular da Copa: uma iniciativa cidadã para construir uma copa que respeite os direitos de todos

05-07-2011

A organização tem como missão articular e organizar pessoas e entidades sociais, para atuar de forma solidária na promoção da justiça, contribuindo na organização e na formação do povo, apoiando grupos que desenvolvam iniciativas de mudanças sociais e estruturais da sociedade, como uma alternativa ao combate à desigualdade social e à miséria em nosso país.  O grupo possui três grandes eixos de atuação: assistência a comunidades indígenas; campanha voltada à reciclagem de resíduos; e ações de mobilização da juventude.

Pelo menos 4,5 mil famílias devem ser removidas das suas casas por causa das obras realizadas em Porto Alegre para receber a Copa do Mundo de 2014, como a ampliação da pista do aeroporto Salgado Filho e a duplicação da Avenida Moab Caldas - que se coloca como necessária para melhorar o acesso ao estádio Beira-Rio, onde vão acontecer os jogos na capital gaúcha. A política de remoções tem sido a de levar os pobres para longe dos centros urbanos da cidade, do seu local de origem e de seus postos de trabalho. Essas áreas, em geral, são sem infraestrutura, deixando as populações a mercê da sorte.

A exemplo das violações ocorridas em países sedes de Copas do Mundo e outros megaeventos esportivos como: África do Sul, Grécia e Nova Deli, etc., sabe-se que além da violação do direito à moradia, outras violações de direitos humanos ocorrem como pano de fundo. Em Porto Alegre, por exemplo, trabalhadores das construtoras que estão ganham incentivos do Governo Federal denunciam a violação de direitos trabalhistas.

Projeto

O projeto proposto faz parte de uma rede nacional de articulação dos diversos agentes locais envolvidos no monitoramento dos efeitos da Copa 2014 e das Olimpíadas 2016 nas cidades brasileiras. Além de monitorar os impactos, a rede elabora estratégias conjuntas de enfrentamento e denúncias nas 12 capitais que serão sede da Copa (Porto Alegre, Curitiba, São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Natal, Salvador, Recife, Fortaleza, Manaus, Cuiabá, Brasília). A rede é ligada a Relatoria Especial da ONU para o Direito à Moradia.

Com o apoio do Fundo Brasil, o grupo vai fomentar a organização comunitária por meio do Comitê Popular da Copa (CPC). A proposta é monitorar as violações dos direitos humanos nas comunidades que serão afetadas direta e indiretamente com as remoções planejadas para efetivação das obras previstas para a realização da Copa em 2014.

O CPC vai estimular e promover a formação política das lideranças para que tenham compreensão da conjuntura e possam organizar as suas comunidades para reivindicarem o direito à moradia digna; além de produzir informações e publicações para denunciar e tornar público à população em geral os impactos sociais, ambientais, urbanísticos e econômicos das obras em Porto Alegre (RS).

Entre as atividades previstas, está a mobilização das comunidades; a realização do “III Encontro da rede nacional de monitoramento dos direitos da população”, em Porto Alegre, com representantes das 12 cidades-sede, em Porto Alegre; e a produção de cartilha sobre as principais violações de direitos humanos cometidas. As informações estarão disponíveis também no blog http://comitepopularcopapoa2014.blogspot.com

A proposta vai beneficiar diretamente por volta de 4,5 mil famílias afetadas pelas remoções.